Zenaide Maia defende geração de emprego e clama por senso entre instituição pública e empresa privada em negociações

Em meio a tantas polêmicas sobre a questão de geração de emprego no RN e no Brasil, a deputada federal Zenaide Maia tem trabalhado muito em defesa do bom senso e conclusão de um acordo que vise à continuidade das atividades da empresa e a manutenção dos empregos, assegurando os direitos sociais dos trabalhadores.

A quarta-feira (20), em Brasília, foi de muitas reuniões e audiências sobre questões que envolvem a garantia de postos de trabalho e o desenvolvimento da economia. A deputada participou de reunião com reitores dos Institutos Federais de todo o País para garantir recursos e manter quadro de funcionários nas instituições de ensino. A reunião teve como pauta a atualização sobre o orçamento da rede federal em 2017, recursos para 2018 e ações de ensino, pesquisa e extensão na Rede Federal.

Em outro momento do expediente na Câmara, a parlamentar se reuniu com o presidente dos Correios para tratar sobre a ameaça de fechamento das Caixas Postais, o que deve refletir em desemprego e falta de atendimento para a população dos municípios e parcerias com as prefeituras.

Outra preocupação de Zenaide Maia é a possibilidade de fechamento de algumas zonas eleitorais, assunto discutido na Câmara. “Essa é mais uma preocupação, pois poderá provocar mais desemprego”, argumenta.

No Rio Grande do Norte, a situação entre o Ministério Público do Trabalho e uma empresa privada preocupa a deputada visto que facções poderão perder milhares de emprego. “Ninguém vai ganhar com essa briga entre MP e o privado. O momento requer prudência e muita negociação. É hora de usar o bom senso. Trabalho sim, desemprego não. O povo brasileiro precisa de emprego”, declarou Zenaide Maia.

“O caos econômico que a sociedade brasileira está vivenciando é fruto de um governo ilegítimo que dispõe de seis bancos oficiais com muitos recursos e com reservas ao redor de 370 bilhões de reais e vem adotando uma política de redução de investimentos para geração de empregos e renda. Se não bastasse, ainda vem criando todo tipo de dificuldades para o capital produtivo (empresas e trabalhadores), ao ponto de conceder seis aumentos de combustíveis em apenas dois meses. O resultado dessa política suicida do Governo TEMER é o desemprego e o desespero da população brasileira pela falta de saúde digna e segurança. Estamos num verdadeiro campo de guerra”, conclui a deputada Zenaide.

O comportamento da parlamentar ao longo dos três anos de mandato na Câmara tem sido em defesa do trabalho e do trabalhador, embora venha sendo prejudicada nas liberações de suas emendas parlamentares, que são totalmente suprapartidárias, em função de seu posicionamento defendendo a ética, o desenvolvimento econômico e a geração de emprego e renda para o trabalhador brasileiro.

Comente

Comente